Segunda-feira, 24 de Janeiro de 2011

DIAS QUE SE FECHAM

Gosto destes dias assim quase sem futuro Vento gélido e árvores no chão Há todo o espaço para estes dias Mas estes dias fecham-se Não seria muito diferente se estivesse sol Os dias fecham-se na mesma.

 

 

 


publicado por LunarCaustic às 23:22
| comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 13 de Dezembro de 2010

INTERVALO QUASE DOLOROSO

Parecendo nada ter para fazer desço. Mas não pelo cascalho interno da terra... Desço assim e raras vezes é triste a descida. Fazer uma descida completa, inteira, boa ou má. Fazer qualquer coisa completa.

 


publicado por LunarCaustic às 21:42
| comentar | ver comentários (1)
Quarta-feira, 18 de Agosto de 2010

NADA ACONTECE

Pela manhã ao alto da montanha chego, depois e depois de um vasto dia termino como se nada tivesse acontecido. Mesmo ao domingo sabemos de cor todas as curvas e assim nada acontece.

 


publicado por LunarCaustic às 22:43
| comentar | ver comentários (4)
Segunda-feira, 7 de Junho de 2010

UMA PASSAGEM PARA UM OUTRO LUGAR

Onde o vento cessa revejo as árvores também as árvores do passado. Transponho mais um obstáculo, cúmplice com a sorte, olhos no olhos encontro-me e perco-me na beleza de um breve momento...

 


publicado por LunarCaustic às 22:27
| comentar | ver comentários (3)
Segunda-feira, 24 de Maio de 2010

ÀS VEZES...

Às vezes as coisas são isto.

As coisas tem eixos e rodam com ruídos diferentes do seu nome.

 


publicado por LunarCaustic às 23:45
| comentar
Terça-feira, 11 de Maio de 2010

LISBOA DOWNTOWN 2010

Finalmente a derrota de Steve Peat e a vitória de um Português: Amarelo de seu nome.

 

 

 

 

 

 


publicado por LunarCaustic às 22:37
| comentar
Sexta-feira, 30 de Abril de 2010

IMAGINANDO COISAS

É a hora do infinito desacerto-acerto, quando estou escondido de quase tudo mas exposto aos arranhões provocados por uma vegetação como não há igual. O pensamento desliza serra abaixo imaginando coisas, andar muito por Sintra e em Sintra adormecer ou acordar provoca isto...


publicado por LunarCaustic às 23:22
| comentar | ver comentários (1)
Segunda-feira, 12 de Abril de 2010

NÃO HÁ NADA A FAZER: DOMINGOS.

Há a vida e quanto a isto nada a dizer. Há um apocalipse que acaba ao fim de 7 minutos e 38 segundos. E quando páro: o que houve que descer para alcançar o mar, o que houve que fazer.

 

 


publicado por LunarCaustic às 19:06
| comentar

posts recentes

DIAS QUE SE FECHAM

INTERVALO QUASE DOLOROSO

NADA ACONTECE

UMA PASSAGEM PARA UM OUTR...

ÀS VEZES...

LISBOA DOWNTOWN 2010

IMAGINANDO COISAS

NÃO HÁ NADA A FAZER: DOMI...

NUM DIA IGUAL AOS OUTROS

The world is full of most...

TEMPO SUSPENSO

ATRAVESSAR FRONTEIRAS

O NEVOEIRO DE SINTRA

CROSS COUNTRY NA SERRA DO...

THE FIRST RIDE

THERE SHE IS : COMMENCAL ...

O TEMPO QUE PASSA NA SERR...

ANTÓNIO SÉRGIO (1950-2009...

TO DO OR NOT TO DO...

O QUE SE LEVA DE SINTRA

arquivos

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

links

Estética
Contador de acesso