Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007

SERRA DE SINTRA NUM DIA FRIO

Talvez para enganar o frio que fazia, eu e o Rui decidimos ir subir até ao Monge e à Pedra Amarela na Serra de Sintra. Saímos a pedalar desde Tires e já na serra, depois de chagarmos aos Capuchos, fomos fazer uns trilhos nas redondezas enquanto aguardávamos pelo João Carlos que ficou de se encontrar connosco. Casualmente encontrámos mais dois colegas do João e, após alguma conversa, decidimos ir primeiro à Pedra Amarela. Subida sempre complicada que na parte final tem uma inclinação muito acentuada, sendo necessária alguma técnica e força nas pernas, se não, só à mão... Subi bem e a StumJumper ajudou! Daqui seguimos para o Monge num acesso mais fácil que aquele que vai dos Capuchos. Entretanto e porque já não era cedo, eu e o Rui decidimos voltar para casa, seguindo em estradão até à Lagoa Azul, onde parei para comer a ultima barra pois ainda faltavam 10 Kms. Reparei então que não tinha comigo a máquina fotográfica... Contas à cabeça e deduzi que ou estaria na Pedra Amarela, onde tirei a última foto, ou teria caído da mochila pelo caminho. O Rui mostrou-se logo disponível para voltarmos para trás, fazendo o mesmo caminho até à Pedra Amarela. Assim e com tão preciosa ajuda, não hesitei. O problema é que não tínhamos comida nem água e já andávamos a pedalar desde as 8.30 da manhã. Mesmo assim, lá fomos subindo até aos Capuchos olhando para o chão na esperança de a máquina aparecer e assim não termos de subir o Monge... Quase nos Capuchos parei para telefonar e ao colocar o telemóvel no bolso do jersey ... senti a máquina... Existem poucas palavras que descrevam a sensação que se apodera de nós nestes momentos, fiquei aborrecido comigo mesmo, mas ao mesmo tempo senti-me aliviado por ter "encontrado" a máquina e também por já não ter de ir ao Monge nem à Pedra Amarela. Regresso a casa sem mais demoras, com mais ou menos 60 Kms e uma fome tremenda...

 

 

 

 

Depois de "encontrar" a máquina fotográfica...

 


publicado por LunarCaustic às 22:02
| comentar

posts recentes

DIAS QUE SE FECHAM

INTERVALO QUASE DOLOROSO

NADA ACONTECE

UMA PASSAGEM PARA UM OUTR...

ÀS VEZES...

LISBOA DOWNTOWN 2010

IMAGINANDO COISAS

NÃO HÁ NADA A FAZER: DOMI...

NUM DIA IGUAL AOS OUTROS

The world is full of most...

TEMPO SUSPENSO

ATRAVESSAR FRONTEIRAS

O NEVOEIRO DE SINTRA

CROSS COUNTRY NA SERRA DO...

THE FIRST RIDE

THERE SHE IS : COMMENCAL ...

O TEMPO QUE PASSA NA SERR...

ANTÓNIO SÉRGIO (1950-2009...

TO DO OR NOT TO DO...

O QUE SE LEVA DE SINTRA

arquivos

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

links

Estética
Contador de acesso