Sábado, 29 de Setembro de 2007

MAIS UMA NOVA BIKE!

Hoje, o Afonso Símplicio que tem 6 anos e pesa 20 KG, comprou a sua nova bicicleta. Uma grande máquina esta b´Twin Racing Boy2 de roda 20 e que pesa + - 16 Kg. Tem manípulos de mudanças SRAM MRX Comp e um desviador traseiro INDEX Falcon com  5 velocidades. Os travões são V-brakes, os pneus são uns Brave 2.0 e tem também iluminação dianteira e traseira. Agora o Afonso vai ter de se alimentar bem, porque vai precisar de muita energia para pedalar na sua nova Bike. Bem vindo ao mundo das bibicletas e espero que aproveites muito bem a tua nova máquina.


publicado por LunarCaustic às 16:10
| comentar
Segunda-feira, 24 de Setembro de 2007

COM O PESSOAL DO CLUBE BTT LISBOA

Aquando do passeio das escadinhas de Lisboa antiga, travei contacto com alguns membros do Clube BTT Lisboa que desde logo me convidaram a ir dar uma volta com eles. Costumam encontrar-se todos os Domingos na Lagoa Azul - Sintra, e fazem uns Km's na serra. Também organizam outro tipo de passeios e neste momento têm agendado para o próximo dia 27 um nocturno na Serra de Sintra. Foi uma volta equilibrada, pois saímos de Tires - eu, o Rui e o Miguel - a pedalar e quando chegámos à Lagoa já levávamos 10Km`s . Depois, alguma subida e muitos single tracks bestiais. Apesar de já conhecer um pouco da serra, andei por trilhos desconhecidos que são simplesmente espectaculares! Os trilhos húmidos então... No seu final tive a oportunidade de me enrolar, uma vez mais, com a StumpJumper . Percebi de imediato porque é que aconteceu , pelo que voltei à carga tendo desta vez passado bem. Aprendi, a minhas expensas, como ultrapassar situações daquelas... Mais técnica precisa-se! Salto aqui, salto ali, lá vou indo... A StumpJumper portou-se bem, apesar de em dada altura, e isto já me tinha acontecido, ficar com a sensação que quer fugir para o lado direito. Não consigo perceber por que raio isto acontece , deve ser só a sensação, até porque para o final da volta desapareceu. A StumpJumper é de facto um brinquedo maravilhoso para aquele tipo de trilhos e desta vez nem houve furos! O pessoal do BTT Lisboa foi impecável e certamente mais voltas irão acontecer , pois todos gostámos. Para a semana irei discutir com o Rui o acesso aos 10 primeiros lugares - na nossa classe, claro! - da Mini-Maratona do Inatel de Setúbal que se desenrola na Serra da Arrábida.  As expectativas são elevadas, até porque vai ser a primeira maratona da StumpJumper . Ficam algumas fotos

Nos capuchos

trilho lindo...

 

trilho lindo e situação confortável...

O grupo, no final

Na véspera tinha estado a regular a  suspensão e o amortecedor , e este processo irá continuar, continuar...


publicado por LunarCaustic às 19:17
| comentar
Domingo, 16 de Setembro de 2007

COM OS FURA-TRILHOS

Passeio Cascais-Colares-Cascais com os Fura-Trilhos . Há já algum tempo que não participava num passeio organizado pelos Fura-Trilhos , e confesso, estava com algumas saudades, pois os passeios deles são sempre espectaculares. Este passeio estava a despertar-me alguma curiosidade pois estava anunciado como: 47 Km, Físico/Alto, Técnico/Alto, 1200 metros de acumulado. Não era a parte física que me preocupava, mas a Técnica/Alto, deixou-me curioso, tendo em atenção os sítios por onde se iria passar. Posso adiantar desde já que superou as minhas expectativas... Prova de fogo perfeita para a StumpJumper ! Saída de Cascais - Outeiro da Vela - a rolar até à barragem Rio da Mula, depois subida em estradão até ao 1º abastecimento nos Capuchos. Até aqui, percursos que já tinha feito com a StumpJumper . Na véspera tinha colocado uma tira anti-furo no pneu da frente e tinha aumentado a pressão do amortecedor Fox Triad . A subir sinto-me cada vez mais à vontade, mas quando cheguei à barragem tirei um pouco de pressão do pneu da frente, pois parecia estar a saltar/fugir muito... Subi bem até aos Capuchos, não sentindo grande diferença na nova regulação do amortecedor . Nos Capuchos abri o amortecedor e fiz a descida - e que descida - para Colares a bom ritmo. Descida alucinante, ora por estradões, ora por single track entre muros. De Colares subimos até à zona superior da Praia Grande, seguindo-se uma descida terrível em piso de areia até à Praia da Adraga. Não consegui fazer a descida sem desmontar algumas vezes. Percebi que andar em areia não é comigo. Também percebi que neste piso não se deve utilizar o travão da frente... Depois da Praia da Adraga sempre a subir até à Azóia (Cabo da Roca), onde se dá a entrada em diversos single tracks  muito técnicos... e aqui começou a festa!!! A pouca técnica que disponho para single tracks desta natureza, aliada à vontade de puxar pela StumpJumper, fez das suas. Já nem sei bem como aconteceu a 1ª queda, ia depressa e ... chão com ele! Cotovelo e braço deitados abaixo. Pancada forte no peito e na anca. Ainda está a doer e não é pouco! Voltei a montar - que remédio - e lá segui, um pouco mais devagar... afinal a paisagem por este sítios é espectacular e isto era um passeio! Na descida para a praia do Abano, um trilho muito difícil - que já tinha feito -, muitas pedras grandes e uma boa inclinação. Tentei fazê-lo sempre montado e... nova varridela do chão. Desta vez fiz uma égua! Julgo que travei onde não devia... Furou-se o punho do lado direito da StumpJumper ( a 1ª grande mazela) e mais uma pancada num joelho que doeu e vai doendo, doendo... Depois foi apanhar a ciclovia do Guincho e rolar até ao final. Terei de continuar a regular o amortecedor e a suspensão até estarem adequadas ao meu peso e maneira de conduzir. Desta vez não furei, pelo que vou manter a tira anti-furo no pneu da frente. Atrás só quando voltar a furar é que ponho.

Resumo:

46,74 Km

A pedalar: 3H18M

Média 14,11KM

Velocidade Máxima: 49,96 KM

Com 350 Km já feitos só tenho a dizer bem da StumpJumper : Não custa assim tanto a subir. Acabaram-se as dores no traseiro e nas costas que transformavam num calvário tudo o que fosse mais de 40 Km.

Com o pessoal

 

Single track em areia espectacular e muito técnico

 

Um aspecto do abastecimento

Ao fim de duas quedas...


publicado por LunarCaustic às 23:29
| comentar
Sábado, 8 de Setembro de 2007

CICLOTURISMO DA FICABEIRA

Realizou-se hoje mais uma edição do Cicloturismo da Ficabeira , a 1ª em que participei. Partida de Arganil, nos Paços do Concelho até ao Barril de Alva, com passagem por Côja . Andamento de convívio, com a presença de muitos participantes jovens e também o "núcleo duro" do BTT Serra do Açor. Após o abastecimento no Barril de Alva, o regresso foi feito com outro andamento e por algumas estadas de terra junto ao Rio Alva até às Secarias. No final cerca de 35 Km´s . Ficam algumas fotos:

 

Na próxima volta o Benfica apostou bem: aqui estão os futuros vencedores da camisola da juventude, da montanha e camisola amarela...

 

Aqui com os primos

 

O Carlos e o João em grande estilo

 

Aproveitando a oportunidade

 

Estes só sabem comer...

 

No Rio Alva

 

O carro vassoura funcionou...

 

 


publicado por LunarCaustic às 22:01
| comentar

ARGANIL - PIODÃO - ARGANIL

Uma ideia que andava a amadurecer e à espera de oportunidade para ser realizada. Ora, aproveitando as minhas férias e as do Rui Berrincha , bem como o feriado municipal de Arganil, decidimos avançar... Saída de Arganil às 8.15 horas na companhia de mais 5 bikers : José Júlio, Rui Berrincha , João Godinho, Nuno e Abel Fernandes. A ideia inicial passava por tentar fazer a maior parte do percurso em terra, contudo face ao momento de forma do Rui - mau, segundo ele - optou-se por tentar fazer a menor distância possível. Fomos direitos a Folques, cortando à esquerda,  já em terra, no sentido de Mancelavisa e indo até ao Alqueve . Aqui, começa a subida a sério, e que subida! Até ao posto de vigia é sempre a subir em caminhos florestais. Pelo caminho 1ª paragem na fonte do ca%"#&* para abastecer . Não sabia que a fonte tinha este nome mas segundo o José Júlio é mesmo assim que se chama... Próxima paragem na fonte que fica por baixo do posto de vigia, já a uma altura considerável. Avançámos até à casa do PPD e aqui chegados, o amigo João que tinha ido a puxar por nós até lá a cima, teve de regressar! Ou tinha que fazer cá em baixo, ou estava todo estoirado, que é o mais certo LOL .... Passou o Nuno a chefe-de-fila . Percurso em alcatrão até à Fonte do Pião e depois até ao Piódão. Almoço no Fontinha: bucho e chanfana. Regresso em parte pelo mesmo caminho, mas indo em alcatrão até à Selada das Eiras. Descida em terra para o Salgueiro e depois novamente em alcatrão até Folques e Arganil. No final:

78 Km´s percorridos;

Velocidade Máxima: 61 Km/hora;

Água consumida: 3 litros;

uma banana, duas barras, 1 gel;

3.30 horas até ao Piódão;

2.15 horas do Piódão até Arganil.

Quanto à StumPjumper: portou-se bem durante todo o percurso. Os travões já estão - parece-me - no ponto! Estou também mais adaptado à posição em subida, não sentindo qualquer tipo de desconforto. A suspensão e o amorteçedor fizeram o seu trabalho, proporcionando o conforto desejado neste tipo de passeio.

Em Arganil no arranque, seleccionados 1 a 1...

 

Serra, Serra e mais Serras

 

ainda a subir

 

Ainda os 6 lá em cima

 

A famosa casa do PPD , com as suas cores controversas

 

O almoço

 

O Rui

 

O José Júlio nos seus 55 anos!

 

O Abel

 

O Nuno

 

Eu

 

O grupo

 

Já perto de casa, no regresso


publicado por LunarCaustic às 19:20
| comentar
Quinta-feira, 6 de Setembro de 2007

ARGANIL - CÔJA - ARGANIL

Saída de Arganil a um ritmo diabólico em direcção às Secarias. À frente o João Godinho que mais parecia um foguete (quem o conhece sabe como ele anda...). No Vale de Zebras, cortada à direita e terra. Terra e mais terra por estradas florestais, com subidas e descidas bem acentuadas e sempre a abrir... O chamado "rompe pernas". Com dificuldade lá fui mantendo o contacto, ajudado aqui e ali pelo Virgílio que também tem mais uns aninhos e sabe o que custa ir cá atrás: chegamos ao cimo e os outros já estão prontos para arrancar, ou seja, descanso é mentira... Mas lá chegámos a Côja e aqui, a primeira recepção aos que iam mais atrás. O Marcos, escondido detrás de um carro, com uma mangueira, vai de molhar, mas molhar mesmo o Virgílio , o Luís e eu próprio. Até soube bem, face ao calor e ao cansaço, não havia era necessidade de ser com aquele caudal todo... Enfim, seguimos e tivemos de atravessar a ribeira de Côja . Quando tinha conseguido chegar ao outro lado sem sair da StumJumper , eis que o Sr. Marcos, novamente com a sua infindável generosidade, decidiu presentear-me com um "chega para lá", ou seja, com um valente empurrão que me fez tomar um banho na ribeira de Côja ! Eu, que tantos banhos tomei em Côja no Rio Alva, vejo-me agora com esta idade, a experimentar os banhos na ribeira de Côja ... Muito satisfeito com estas peripécias todas, decidi convidar os colegas para uma bebida no grande amigo Tó-Zé Calinas, que continua a explorar - e bem - a tasca do João César, seu falecido pai. A custo, muito custo mesmo, lá consegui que ele descobrisse e me servisse uma cerveja sem álcool... Ouvi todo o tipo de bocas, até ameaças, eu sei lá o quê... mas, enfim, o meu "percurso académico" e uma amizade que já tem muitos anos, acabou por se impor e a despedida foi com um abraço e uma certa nostalgia que trás muitas recordações... GRANDE TÓ-ZÉ CALINAS, SEMPRE EM FORMA!

O regresso foi em alcatrão, terreno que não é de facto o mais indicado para a StumpJumper - não parece , agarra mesmo! No final: +- 30 Km´s .

O Marcos, à saída, a "encher" muito satisfeito...

 

O 1º banho

 

No fim do 2º banho

O Marcos "agarrado à mangueira" todo satisfeito, o Luís , o Virgílio e o João

 

Eu, a cerveja sem álcool e o Tó-Zé

 

KTM , Gary Fisher , Scott , Orbea e Specialized ...


publicado por LunarCaustic às 00:43
| comentar
Terça-feira, 4 de Setembro de 2007

IDA AO MONT´ALTO

Ao fim do dia para fugir ao calor que está a apertar, mais uma voltinha de somente 20 Km´s, porque às 8 horas já começa a escurecer. Casualmente, apanhei boleia do Paulo B. Leite e escolheu ele a volta. Saímos direitos às Secarias indo por terra no sentido da Mancelavisa até chegar ao Alqueve. Aqui subimos um pouco na direcção do posto de vigia, mas voltámos para trás face ao horário. Depois descemos por um single track até quase ao pé do cemitério de Folques e fomos até ao Mont´Alto. Já andava com vontade de lá ir com a StumpJumper, mas não estava a contar que fosse hoje... A mata desde o Santuário até cá baixo ao Senhor da Ladeira é excelente para ser feita a "abrir", tem de tudo um pouco, saltos, escadas e desníveis acentuados...para quem gosta, está tudo dito. Não fiz  a descida desde a capela mas fiz as escadas cá de baixo a uma boa velocidade e o desempenho da StumpJumper foi 5 *****. No regresso para Arganil começou a fervilhar a ideia de descer tudo pelas inúmeras escadas que existem até cá abaixo. Por falar em escadas, uma olhadela no passeio em que participei no mês de Agosto intitulado "As Escadinhas de Lisboa Antiga"


publicado por LunarCaustic às 22:29
| comentar | ver comentários (2)

SUBINDO AO CAMELO

Aproveitando a disponibilidade das férias e na companhia do Rui Cruz e da sua Trek 8900 (que está um espectáculo!),  decidimos ir ao fim do dia um pouco acima da Nogueira, lá para os lados do Camelo, para podermos fazer a descida a que julgo chamarem do "Lavadouro". Antes de arrancar , mais um furo, resíduos da volta de ontem. Furo lento, difícil de descobrir, mas estava lá! De facto, estes pneus para furar... é sempre a aviar. O Percurso: subida íngreme , serpenteando a serra por locais onde há uns anos atrás roncavam os valentes motores dos carros de Rally que na altura faziam as delícias do pessoal... Agora, acaba por ser engraçado passar pelos mesmos sítios e fazer aqueles ganchos todos mas... de bicicleta! O principal objectivo deste percurso, que acabou por se cifrar em 20 Km , era "puxar" pelos travões de disco hidráulicos Avid Juicy 5 com discos de 185 160mm . Fiz a subida com o amortecedor na posição pro-pedal e na descida abri-o. Acho que me cortei na descida, e que descida: com ganchos e mais ganchos e com uma inclinação tremenda, assustou-me um pouco. Ainda não domino a  StumpJumper como pretendo... a seu tempo lá chegarei... como também dei duas quedas na véspera... Uma coisa é certa: hei-de voltar a fazer aquela descida e se calhar ainda vai ser esta semana... 

As duas máquinas

 

Fotos assim não tiram em todo o lado

 

Muito andamento...

 


publicado por LunarCaustic às 02:19
| comentar

posts recentes

DIAS QUE SE FECHAM

INTERVALO QUASE DOLOROSO

NADA ACONTECE

UMA PASSAGEM PARA UM OUTR...

ÀS VEZES...

LISBOA DOWNTOWN 2010

IMAGINANDO COISAS

NÃO HÁ NADA A FAZER: DOMI...

NUM DIA IGUAL AOS OUTROS

The world is full of most...

TEMPO SUSPENSO

ATRAVESSAR FRONTEIRAS

O NEVOEIRO DE SINTRA

CROSS COUNTRY NA SERRA DO...

THE FIRST RIDE

THERE SHE IS : COMMENCAL ...

O TEMPO QUE PASSA NA SERR...

ANTÓNIO SÉRGIO (1950-2009...

TO DO OR NOT TO DO...

O QUE SE LEVA DE SINTRA

arquivos

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

links