Sábado, 29 de Dezembro de 2007

CINEMA NO CINEMA

Sendo um apreciador do trabalho de Gus Van Sant não perco nenhum dos seus novos filmes, indo vê-los quase sempre ao cinema.  Paranoid Park é o mais recente e fui vê-lo ao Fonte Nova. É mais uma viagem ao universo da adolescência (neste caso o mundo dos skaters) tal como já havia feito com Elephant. A sua obsessão pelo vazio está mais uma vez presente na personagem principal. Tendo já pouco a ver com filmes antigos do realizador como My Own Private Idaho ou Drugstore Cowboy, este Paranoid Park agradou-me bastante.


publicado por LunarCaustic às 12:27
| comentar
Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2007

PELOS LADOS DE ARGANIL

Mais uma volta em Arganil, desta vez pelos lados da Mata da Margaraça. Um corta-mato autêntico procurando desbravar novos caminhos para a 1ª maratona de Arganil em BTT. A meio da volta, sem saber bem como, separei-me do pessoal e fiquei com o Zé a tentar passar por sítios onde, segundo ele, passava a estrada… estrada aquilo? Não caro amigo José, aquilo pode ser tudo menos uma estrada, com tanta silva, mimosas e giestas daquele tamanho, deve ter outro nome qualquer… Espero que não pensem em fazer passar a Maratona por ali, porque senão o pessoal vai desesperar/desertar. Resultado final: arranhões por tudo quanto é lado, uma gripe mal curada que fez com desse o “estoiro” antes do tempo e uma maldita lesão no joelho esquerdo que já deveria ter sido observada por um ortopedista. Apesar de tudo não foram só desgraças, pois mais uma vez escapei ao frio (no fim-de-semana anterior é que doeu!) e no fim ainda deu para beber uma cerveja preta no Mendes das Secarias, antes do já habitual e sempre excelente Cozido à Portuguesa de Domingo, feito pela minha mãe.

Trilhos selvagens...

A posição preferida do Virgílio...

Mas ajudado de imediato...

Não é só no Porto que existem indivíduos assim...


publicado por LunarCaustic às 22:34
| comentar
Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2007

SERRA DE SINTRA NUM DIA FRIO

Talvez para enganar o frio que fazia, eu e o Rui decidimos ir subir até ao Monge e à Pedra Amarela na Serra de Sintra. Saímos a pedalar desde Tires e já na serra, depois de chagarmos aos Capuchos, fomos fazer uns trilhos nas redondezas enquanto aguardávamos pelo João Carlos que ficou de se encontrar connosco. Casualmente encontrámos mais dois colegas do João e, após alguma conversa, decidimos ir primeiro à Pedra Amarela. Subida sempre complicada que na parte final tem uma inclinação muito acentuada, sendo necessária alguma técnica e força nas pernas, se não, só à mão... Subi bem e a StumJumper ajudou! Daqui seguimos para o Monge num acesso mais fácil que aquele que vai dos Capuchos. Entretanto e porque já não era cedo, eu e o Rui decidimos voltar para casa, seguindo em estradão até à Lagoa Azul, onde parei para comer a ultima barra pois ainda faltavam 10 Kms. Reparei então que não tinha comigo a máquina fotográfica... Contas à cabeça e deduzi que ou estaria na Pedra Amarela, onde tirei a última foto, ou teria caído da mochila pelo caminho. O Rui mostrou-se logo disponível para voltarmos para trás, fazendo o mesmo caminho até à Pedra Amarela. Assim e com tão preciosa ajuda, não hesitei. O problema é que não tínhamos comida nem água e já andávamos a pedalar desde as 8.30 da manhã. Mesmo assim, lá fomos subindo até aos Capuchos olhando para o chão na esperança de a máquina aparecer e assim não termos de subir o Monge... Quase nos Capuchos parei para telefonar e ao colocar o telemóvel no bolso do jersey ... senti a máquina... Existem poucas palavras que descrevam a sensação que se apodera de nós nestes momentos, fiquei aborrecido comigo mesmo, mas ao mesmo tempo senti-me aliviado por ter "encontrado" a máquina e também por já não ter de ir ao Monge nem à Pedra Amarela. Regresso a casa sem mais demoras, com mais ou menos 60 Kms e uma fome tremenda...

 

 

 

 

Depois de "encontrar" a máquina fotográfica...

 


publicado por LunarCaustic às 22:02
| comentar
Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007

MEIA MARATONA DE CANHA 2007

A última prova do ano para mim e para o Rui e a primeira prova para o Tiago. Na véspera ponderei não ir pois estava engripado e não me sentia nada bem, mas os comprimidos lá fizeram algum efeito e, no Domingo às 7 da manhã, decidi avançar. Já saímos um pouco tarde e na partida fomos mesmo os últimos a arrancar. As perspectivas eram animadoras, seria uma prova de trás para a frente, bastando só ir ultrapassando pessoal... O Rui que está na fase pós-queda, iria acompanhar o Tiago na sua estreia nestas coisas, ambos num ritmo mais lento. Eu, apesar de não me sentir muito bem, decidi que iria tentar fazer o meu melhor e logo me despedi do ritmo mais lento começando a papar pessoal atrás de pessoal.... Mesmo a ganhar posições o início foi bastante violento pois não aqueci e  comecei a andar a um ritmo elevado. Aos 12.5 Kms, depois de já ter passado seguramente mais de 100 bikes e antes do 1º abastecimento, uma surpresa sempre desagradável: furei! Lá tive que trocar de câmara e quando estava já a encher o pneu, aparecem o Rui e o Tiago e lá voltamos ao início: os outros 100 que já havia passado voltaram a ultrapassar-me... Voltei a arrancar e no 1º abastecimento, onde estavam o Rui e o Tiago, decidi já não parar e imprimir um ritmo forte. Fartei-me de ultrapassar pessoal o que não deixa de ser agradável e só fui ultrapassado por pessoal dos 100 Kms, pois os percursos separavam-se mas de vez em quando voltavam a ser os mesmos. Assim, acabei por me cruzar diversas vezes com os primeiros classificados dos 100 Kms e com o seu ritmo diabólico. Aos 25 Kms comecei a sentir-me melhor e o objectivo era só um: passar quem via à frente. Apesar do percurso não ser do meu agrado, pois não tinha subidas, consegui criar um ritmo constante que foi dando para ultrapassar o pessoal. Aos 35 Kms, como me sentia bem, aumentei o ritmo julgando faltarem 5 kms para o final. Pensei: isto até está a correr bem é pena não haver mais uns kms para ainda apanhar mais um pessoal (um espírito competitivo que surgiu sem necessidade... já não tenho 20 anos, mas sim quase o dobro!). Enfim, a prova acabou por ter 52 Kms e nos últimos 12 foi ver pessoal que também estaria certamente à espera dos 40 Kms, já completamente a arrastar-se, pelo que fui ultrapassando, ultrapassando até ao final. No fim fiz 2 horas e 58 minutos, acabei em 126º lugar e ultrapassei 132 bikers, grande parte deles por duas vezes! Objectivo cumprido. Melhor só se não tivesse furado. O Rui não aguentou o ritmo imposto pelo Tiago e chegou 4 minutos depois de mim no lugar 137. Se tivéssemos ido os dois juntos pelo menos desde o 1º abastecimento,  ficaríamos certamente nos 100 primeiros. Para a próxima... O Tiago lá terminou a sua 1ª meia maratona e só por isso está de parabéns. Foi um empeno grande, mas também ninguém lhe mandou andar a fazer o percurso dos 100 Kms e chegar ao fim com 60 Kms  vá lá perceber-se como... demorou  4 horas e 23 minutos, ficou no lugar 235º à frente, entre outros, pasme-se, do Pedro Chang Yan! Grande Tiago. O João Carlos (Just4fun), com quem tive o prazer de pedalar umas semanas atrás, nos 100 Kms ficou em 21º lugar com 4 horas e 48 minutos: Boa!

O Tiago a aquecer: palavras para quê.

No início

Mais um furo

Na chegada

O Rui após cortar a meta

 

A chegada do Tiago


publicado por LunarCaustic às 22:28
| comentar
Terça-feira, 4 de Dezembro de 2007

EM ARGANIL

Com o pessoal do BTT Serra do Açor, que anda a preparar a futura Maratona de Arganil, volta animada em que dei descanso à StumpJumper. De manhã bem cedo e com frio, mas ainda não aquele frio que é costume fazer, uma surpresa: subi para a bike e logo pensei: o que é que se passa com isto, será possível que seja esta a posição de condução desta bike? Que diferença para a StumpJumper! Ao fim de uns kms estava novamente adaptado mas que é muito diferente é. A volta começou logo a subir, em alcatrão, até à Selada das Eiras. Lá no cimo SOL! Depois, acabámos por ir até à Mata da Margaraça reconhecendo aqueles que serão os trilhos da Maratona e, finalmente, por Côja regressámos a Arganil: 57 Kms a bom ritmo. Para a semana a Meia-Maratona de Canha.

Um grupo animado.

 

O descanso da StumpJumper...

Sol, nevoeiro, vegetação colorida, eis a Mata da Margaraça!

 


publicado por LunarCaustic às 23:41
| comentar | ver comentários (2)

posts recentes

DIAS QUE SE FECHAM

INTERVALO QUASE DOLOROSO

NADA ACONTECE

UMA PASSAGEM PARA UM OUTR...

ÀS VEZES...

LISBOA DOWNTOWN 2010

IMAGINANDO COISAS

NÃO HÁ NADA A FAZER: DOMI...

NUM DIA IGUAL AOS OUTROS

The world is full of most...

TEMPO SUSPENSO

ATRAVESSAR FRONTEIRAS

O NEVOEIRO DE SINTRA

CROSS COUNTRY NA SERRA DO...

THE FIRST RIDE

THERE SHE IS : COMMENCAL ...

O TEMPO QUE PASSA NA SERR...

ANTÓNIO SÉRGIO (1950-2009...

TO DO OR NOT TO DO...

O QUE SE LEVA DE SINTRA

arquivos

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Agosto 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

links